Faltam

Dias
Horas
Minutos
Segundos

Mercado plant based: passando de tendência à realidade no Brasil

Compartilhar

O mercado plant-based não é mais um desejo dos consumidores e da indústria e, neste conteúdo, mostraremos a você como ele deixou de ser uma tendência e se tornou uma realidade no Brasil.

Para falar sobre esse assunto, convidamos a Paula Sousa Minelli, gerente de contas da Synergy Aromas, empresa multinacional fabricante de aromas e referência no setor.

Desfrute desta leitura que preparamos para você e aproveite os insights para levar o assunto plant-based para a sua empresa!

O mercado plant-based não é mais um desejo dos consumidores e da indústria e, neste conteúdo, mostraremos a você como ele deixou de ser uma tendência e se tornou uma realidade no Brasil.

Para falar sobre esse assunto, convidamos a Paula Sousa Minelli, gerente de contas da Synergy Aromas, empresa multinacional fabricante de aromas e referência no setor.

Desfrute desta leitura que preparamos para você e aproveite os insights para levar o assunto plant-based para a sua empresa!

 

O mercado plant based: do nicho para realidade

Antes de mais nada, quando pensamos na realidade de poucos anos atrás, nós encontrávamos pouquíssimos produtos nas gôndolas de supermercado e, se quiséssemos uma variedade um pouco maior de produtos plant-based, era preciso nos dirigir a uma loja especializada.

Hoje, é possível notar uma grande mudança nessa realidade, uma vez que cada vez mais nós encontramos opções de produtos à base de plantas nas prateleiras. Nesse sentido, realmente observamos uma importante mudança de maré.

Atualmente, encontramos não somente aquelas bebidas clássicas de soja. Os consumidores têm à disposição produtos fortificados com proteína de ervilha, queijos, iogurtes sem nenhum ingrediente de origem animal, sobremesas veganas, e outro leque enorme de produtos.

E, a Paula garantiu que esse é somente o começo dessa virada de chave. O mercado plant-based está se expandindo e muito, pois além dos vegetarianos e veganos, é possível observar que o consumidor tem colocado sua saúde e bem-estar em primeiro lugar.

As pessoas almejam ter um estilo de vida mais saudável e elas entendem que frutas, vegetais e grãos, por exemplo, são mais saudáveissão ricos em vitaminas, minerais e fitonutrientes.

Por fim, mais um ponto sobre a realidade que vivemos, segundo a especialista, é que os consumidores também enxergam os produtos plant-based como melhores para o planeta. Eles são vistos como uma opção mais saudável e mais sustentável do que aqueles produtos com ingredientes de origem animal.

 

Dados de mercado que você precisa conhecer

A gerente de contas dividiu conosco pesquisas que reforçam um crescimento exponencial dos produtos plant-based. Pensando em uma projeção até 2025, estamos caminhando para R$ 667 milhões em faturamento de produtos desse segmento.

Isso significaria um aumento de 169% com relação aos dados de 2015, quando o faturamento era de R$ 246,7 milhões no Brasil. E isso, sem dúvidas, é uma grande oportunidade para a indústria.

A Paula dividiu também conosco as categorias plant-based que mais crescem em nosso país e no topo da lista estão as bebidas sem ingredientes de origem animal.

Esse setor, em especial, teve um crescimento de 865% nos últimos cinco anos e existe uma projeção de que cresça mais 150% até 2025.

Mais um dado que revela que os produtos de origem animal mais consumidos pelos brasileiros e aqueles que mais se destacam são os laticínios, ovos e derivados leite de vaca.

Portanto, esses são os caminhos que a indústria de alimentos precisa percorrer, desenvolvendo produtos para ocuparem esses lugares na mesa dos consumidores.

 

Interesses e comportamentos do consumidor

Uma pesquisa realizada pela Synergy revelou dados interessantes. Eles perguntaram para os entrevistados por que eles compram produtos plant-based e eles responderam o seguinte:

  • Primeiro lugar – porque se preocupam com sua saúde e qualidade de nutrição
  • Depois disso, eles também citaram pelo sabor, curiosidade, preocupação com meio ambiente e intolerância a ingredientes

De forma geral, uma pesquisa realizada pela Dia-fi revela que 50% dos entrevistados reduziram o consumo de carne nos últimos 12 meses e 39% já está consumindo alternativas vegetais para substituir os produtos de origem animal pelo menos três vezes por semana.

Por fim, isso aponta que o plant-based não é somente um movimento. Ele é uma realidade cada dia mais presente na mesa do brasileiro.

 

Quem é o consumidor de produtos plant-based? 

A Paula categorizou para nós quais são os diferentes tipos de consumidores plant-plant based e apresentaremos cada um deles a você, logo a seguir:

– Consumidor mainstream
Esse consumidor continua consumindo produtos de origem animal, mas ele está em busca de ampliar seus horizontesincorporando em seu dia a dia produtos alternativos. No entanto, esses consumidores são mais exigentes e eles buscam alimentos plant-based que tenham sabor, textura e aparência daqueles com ingredientes de origem animal.

– Consumidor curioso
Esse consumidor é aquele que é movido por novidades e, por isso, não poderia deixar de se interessar por produtos plant-based.
Tipicamente ele se atenta a movimentos como segunda-feira sem carne e busca se informar a todo momento sobre assuntos relacionados ao universo plant-based.

– Consumidor flexetariano
Segundo a Paula, esse é o consumidor flexível e, em sua maioria, estamos falando de mulheres. É um público que também continua consumindo alimentos de origem animal, mas na hora de montar seu pratoprefere aqueles plant-based.
Ele está em busca de um novo estilo de vida e tenta ao máximo priorizar a saúde. É importante oferecer para esse público produtos com sabor atrativo, pois as taxas de recompra serão melhores.

– Consumidor vegetariano
Ele não consome carne, mas continuam se alimentando de leite e derivados. Esse público se preocupa com o bem-estar do animal.

– Consumidor vegano
veganismo é um estilo de vida dedicado à sustentabilidade do planeta e ao bem-estar total do animal. Diante disso, esse consumidor tem uma dieta extremamente restrita, e ele não consome nenhum produto de origem animalTransparência e confiança é a base do relacionamento com esse público.

Desafios no desenvolvimento de produtos plant-based

Para finalizarmos esse conteúdo, vamos dividir com você o que a especialista elenca como desafios do mercado plant-based.

indústria de alimentos precisa se preparar rapidamente para oferecer ao consumidor produtos sem origem animal que sejam gostosos, atrativos e com um leque de opções.

Diante disso, ela elenca como desafios, segundo pesquisas realizadas com consumidores, os aftertastesofertas de texturas mais agradáveissabor variedade de opções.

Com base nessas informações, podemos afirmar que sairá à frente aquela empresa que conseguir vencer essas barreiras no universo plant-based.

 

E a sua empresa, tem investido em inovação para se destacar no portfólio de produtos sem ingredientes de origem animal? Chegou a hora de pensarmos definitivamente sobre esse assunto!

Cadastre-se em nossa newsletter para não perder nenhuma atualização do nosso hub de conteúdo!

Leia também

Photo by Jimmy Dean on Unsplash
Artigos

Acelerando a Inovação em Alimentos por meio dos Prebióticos

Existem razões multifacetadas pelas quais os prebióticos comprovados se destacam como verdadeiros agentes transformadores, possibilitando inovação enquanto melhoram a alimentação dos consumidores. Tendências Alimentares e

Contato