Crescimento populacional, urbanização, estrutura etária e familiar da população, renda e o acesso à educação e informações são alguns dos fatores que determinam o comportamento do consumidor, assim como seus hábitos de consumo.

Se, no passado, esses movimentos levavam anos ou mesmo décadas para que fossem capazes de produzir alterações substanciais nas escolhas e preferências do consumidor, atualmente se constata, pela intensidade com que os mesmos ocorrem, uma redução exponencial dos intervalos de tempo necessários as transformações mais significativas.

A indústria de alimentos deve ficar atenta às tendências e desafios deste novo cenário da demanda, como forma de manter o seu posicionamento competitivo. Com o aumento da renda e do poder de compra, além de maior acesso à informação, o desafio é produzir bens atendendo às exigências de um consumidor cada dia mais crítico,.

Estudos como o do Programa Brasil Trend Food, analisaram as tendências de consumo agrupando-as em cinco categorias:

1. Sensorialidade e Prazer
2. Saudabilidade e Bem-estar
3. Conveniência e Praticidade
4. Confiabilidade e Qualidade
5. Sustentabilidade e Ética

Em resumo, as tendências de “sensorialidade e prazer” estão relacionadas com o aumento do nível de educação, informação e renda da população, entre outros fatores. Em diversos países, os consumidores estão valorizando as artes culinárias e as experiências gastronômicas, influenciando tanto o setor de serviços de alimentação como também o desenvolvimento de produtos industrializados.

Já as tendências de “conveniência e praticidade” são motivadas, principalmente, pelo ritmo de vida nos centros urbanos e pelas mudanças verificadas na estrutura tradicional das famílias, fatores que estimulam a demanda por produtos que permitem a economia de tempo e esforço dos consumidores. Por isso cresce a demanda por refeições prontas e semiprontas, alimentos de fácil preparo, embalagens de fácil abertura, fechamento e descarte, com destaque para produtos para o preparo em forno de micro-ondas, além de serviços e produtos de delivery.

Os consumidores mais conscientes e informados tendem a demandar produtos seguros e de qualidade atestada, valorizando a garantia de origem e os selos de qualidade, obtidos a partir de boas práticas de fabricação e controle de riscos, resumem as tendências de “confiabilidade e qualidade” onde, características como a rastreabilidade e a garantia de origem, os certificados de sistemas de gestão de qualidade e segurança, a rotulagem informativa e outras formas de comunicação que as empresas possam utilizar para demonstrar os atributos dos seus produtos, passam a ser cada vez mais valorizadas.

Por fim, as tendências de “sustentabilidade e ética” têm provocado o surgimento de consumidores preocupados com o meio ambiente e também interessados na possibilidade de contribuir para causas sociais ou auxiliar pequenas comunidades agrícolas por meio da compra de produtos alimentícios.

 

Sob o aspecto social, tem aumentado o interesse por produtos vinculados a causas sociais, com certificados de origem de sistema fairtrade, além da simpatia pelas empresas com programas avaliados e certificados de responsabilidade social.

Com o macro tema Como entender e atender aos novos anseios de um consumidor mais exigente e diversificado em busca do alimento como fonte de saúde? o Congresso NIS abordará essas e outras tendências do mercado em um evento inovador.

Não fique de fora! Clique e inscreva-se para o evento virtual que acontece nos dias 9 e 10 de novembro com palestras online e visitação aos stands virtuais. E agende-se para o evento presencial nos dias 24 e 25 de maio de 2021.

 

QUERO PARTICIPAR

 

Fonte: BTF2020

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *